NUNCA MISTURE A ÁGUA NA ACLIMATAÇÃO DO SEU NOVO PEIXE!


Seja bem-vindo ao nosso novo blog!

Uma correta aclimatação é 70% responsável para um sucesso com seu novo peixe! Abaixo as recomendações:

Sempre que você comprar um novo peixe, não se esqueça de efetuar antes uma manutenção no seu aquário, garantindo que seu pH esteja bom, amônia e nitrito zero, e nitrato abaixo de 25 ppm. Assim começamos com o pé direito.

Recomendamos apagar a luz do aquário durante o processo pois aumenta as chances do novo peixe de não apanhar dos antigos moradores mais agressivos que já se sintam “donos” do aquário. Esse procedimento é importante principalmente para aquários marinhos e de ciclídeos em geral com peixe mais territorialistas.

O próximo passo é deixar boiando o saquinho fechado por 10 minutos para igualar a temperatura da água da embalagem igual a do aquário.

E nunca misture a água do aquário dentro do saquinho! Nossa mas sempre me ensinaram fazer essa mistura a minha vida toda! Veja abaixo o porque essa mistura é errada!

Após apenas algumas horas de embalagem, a concentração de amônia exalada pelas guelras dos peixes, já atinge níveis extremamente altos como 3 ppm. Ao mesmo tempo o pH da água do saquinho fica ácida rapidamente pela respiração com exportação de CO2. O pH mais ácido acaba não sendo ruim pois mantém a alta concentração de amônia numa forma não tóxica. Porém se você adicionar dentro do saquinho, água do aquário com pH neutro ou alcalino, aumentará o pH da água do saquinho e elevará a toxidade da amônia em níveis perigosos, provocando queimaduras na mucosa e branquias do peixe. Essas queimaduras que não são visíveis a olho nu no seu peixe, irá causar dificuldades de absorção de oxigênio pelas brânquias machucadas e eventualmente problemas de parasitas ou bactérias pela mucosa deteriorada. 

Por isso a última etapa da aclimatação é abrir o saquinho e colocar o peixe diretamente no aquário e descartar a água ruim da embalagem. 

A diferença de pH entre a água do saquinho e do aquário não prejudica a adaptação do seu peixe de forma alguma, fique tranquilo.

Parabéns você aclimatou corretamente o seu novo peixe!

A aclimatização deve ser um processo que não deve demorar mais que 15 minutos no total, veja um resumo dos passos abaixo: 

 

 

1-Apague a luz do aquário se possível.

 

2-Coloque o saquinho do peixe ainda lacrado boiando dentro do aquário para que a temperatura das duas água se equalize.

 

3-Após 10 minutos abra o saquinho e imediatamente solte o peixe diretamente no aquário sem que nenhuma quantidade de água do saco seja introduzia no seu aquário ou vice versa.

 

4-Jogue a água do saquinho fora e curta seu novo peixinho!

 

Dica: alimente bem os peixes do seu aquário minutos antes de soltar seu peixe novo, isso deixará os atuais moradores mais satisfeitos e calmos. Deixando o novo morador mais a vontade.

 

Deixe agora o seu novo peixe procurar um abrigo no seu aquário e procure acender a luz somente mais tarde ou dia seguinte.

 

Sabemos que você está ansioso para olhar e admirar seu novo animal mas é importante deixar ele descansar por hoje, afinal depois de uma longa viagem o descanso é merecido!!

 

 

Obrigado!

Comentários

  1. Adicionando água no saquinho, não estaria diluindo a amônia? E se o ph estiver próximo? E existe o risco do choque de ph sim, se for muito diferente. Sempre fiz a diluição e nunca tive problemas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nelson, obrigado pelo seu comentário e vou colocar abaixo a explicação para ele!

      Se você dobrar a quantidade da água no saquinho que já é uma quantidade grande de água estará diluindo a amônia na metade por exemplo de 4ppm diminuindo para 2ppm, e ainda assim ficará altíssimo, ou seja, o efeito negativo dela ainda será inevitável.

      Se o seu aquário é de água ácida seus peixes comprados não sentirão nenhuma diferença pois vc não estará alcalinizando a água do saquinho, (aí se vc quiser pode misturar a água) mas se for de água alcalina, sim, você estará prejudicando seu novo peixe. Efetuando uma análise das brânquias no microscópio vc consegue ver elas todas queimadas. Desta maneira as lamelas não funcionam direito e o peixe não consegue absorver o oxigênio da água para a sua corrente sanguínea. Com dificuldade para respirar, sua imunidade também cai, e ele fica propenso a todos os tipos de problemas.
      Também basta pegar uma tabela de um teste de amônia e conferir amônia x pH com as toxidades.

      Outro ponto importante é o tipo do peixe nesse processo, se vc estiver comprando um peixe muito forte e resistente como ciclídeo americano, ele pode se recuperar, mas se for um peixe mais sensível como puffer, africanos, tropheus, guppy de linhagem, ou qualquer outro mais sensível, sim, terá problemas depois de uma semana.

      E para finalizar um ponto bem importante, nossos clientes do site na maioria são de fora de São Paulo, e os envios normalmente ultrapassam mais de 48 horas embalados. A amônia com 2-3 dias de viagem ultrapassa dentro do saquinho níveis que sequer aparecem no teste, extremamente alto. Ou seja, essa situação se agrava muito. Depois que passamos a colocar o procedimento correto para soltar os peixes, a mortalidade praticamente zerou ao contrário de quando os clientes misturavam a água.

      Todas esses pontos não são fatos que achamos, e sim, estudos com base em exames em microscópio, testes científicos, que fizemos para elaborar melhores processos para que todos cuidem melhor do seu peixe.

      O risco de choque de pH só existe para um peixe chamado tetra cardinal, ele é selvagem, e não aceita bem diferenças de 0.5 de pH, por isso não trabalhamos. A mortalidade desta espécie, é uma das maiores do Brasil, pois uma simples TPA faz mal a ela. Demora muito tempo para eles se acostumarem, mas até lá uma grande parte do cardume já morreu. Chega a ser anti ecológico.

      Qualquer dúvida ou outro ponto, nos envie msgm.
      Um grande abraço, William Sugai
      Infelizmente no aquarismo existe um número grande de pessoas que divulgam métodos que não tem base científica, e com esse novo blog estaremos tentando desmitificar vários assuntos!

      Excluir
  2. Eu realizo a introdução de novos habitantes por gotejamento em média 2 horas, mesmo assim ocorre estes problemas citados no texto? Pois nunca tive maiores problemas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Aquarismo Viana,

      Obrigado pelo comentário.

      Sim, se você fizer o gotejamento de uma água mais alcalina sempre terá problemas com toxidade pela amônia, basta medir o nível de amônia do saquinho e conferir a tabela que vem dentro do próprio teste. Se vc aumentar o pH da água do saquinho, e ler a tabela de toxidade verá que esse processo só direciona para uma situação pior.

      Você somente não tem problemas quando o pH do aquário é mais baixo (ácido) que a água do saco.

      2 horas?? Muito tempo. Lembre-se que um processo de aclimatação é um momento de grande estresse ao peixe, ou seja, quanto maior o tempo no processo, maior o sofrimento você está causando ao peixe.

      Quando despachamos um peixe a um cliente, e ele recebe no dia seguinte ou algumas localidade em até 3 dias. Nessa situação o saquinho já está com pouco oxigênio, e quando você abre perde o resto de oxigênio que tinha dentro. Dependendo da cidade que está ou temperatura do aquário, e o próprio consumo pelo próprio peixe, a pouca água no saquinho começa a ter níveis de oxigênio que já afetam a condição do peixe. Ou seja manter ele num saquinho com água quase sem oxigênio por mais 2 horas não é adequado mesmo que gotejando.
      Quanto maior a temperatura da água, menor a capacidade a água tem de armazenar oxigênio. E aí o problema de amônia nem acaba sendo o principal problema.

      E por último é preciso analisar sempre qual espécie de peixes estamos tratando. Se você estiver aclimatando peixes marinhos que são extremamente delicados poderá ter graves problemas nas duas semanas seguintes. Eles já tem grandes problemas de adaptação mesmo se tudo for feito de forma correta. Se fizer errado, suas chances despencam.

      Um peixe aclimatado de forma errada nunca morre no mesmo dia, por isso acaba enganando a maioria dos aquaristas que acha que ele já chegou ruim de viagem e por isso não está comendo, ou que chegou com alguma doença interna misteriosa que matou somente ele nas semanas seguintes já que seus peixes mais antigos do aquário ainda estão vivos.

      Eu li um comentário aonde um aquarista entendeu o artigo e o problema causado pela amônia, mas acha exagero esse tipo de detalhe.

      Eu digo que nunca é exagero quando tentamos fazer o melhor aos nossos peixes! Até porque não custa nada.

      Excluir
  3. É muito importante e bom termos uma fonte de informações e orientações seguras passadas por pessoas que tem anos de experiência e profundo conhecimento do assunto, isso é bom para ambas as partes, fornecedor, cliente criador ou hobista e não menos importante para os peixes que nos alegram e são totalmente dependente de nossos cuidados.
    Aproveitando, por favor..
    Como saber quando é o momento de separar uma guppy para que possa parir tranquila e com os alevinos em segurança?
    Muito obrigado!

    ResponderExcluir

Postar um comentário